Valores que Transformam Nossas Relações Interpessoais


O ser humano é um ser social e desde que começou a se agrupar e viver em sociedade, começou a criar laços em comunidade, no exercício e convivência das relações interpessoais. As relações entre os seres humanos se diferenciam dos outros animais justamente pela capacidade de se relacionar com o outro.


O Ser Humano é complexo. Somos diferentes uns dos outros, com vontades próprias, forma de pensar diferenciada, e essas diferenças, muitas vezes, geram conflitos, mas que, de uma maneira ou de outra, estão presentes em nossos relacionamentos e fazem parte do nosso crescimento.


Para um bom relacionamento interpessoal é necessário que tenhamos uma boa inteligência emocional, que envolve conhecer-se a si e ao outro. Talvez não nos damos conta do quão importante é a convivência com o outro. A pandemia nos fez perceber a necessidade que temos do contato, da troca, da relação com os outros, família, amigos, todas as pessoas que fazem parte do nosso convívio.


Como aprender a desenvolver relações interpessoais, num tempo em que não podíamos sair de casa, devido às restrições pelo Covid-19? A Pandemia e o isolamento social, pelo qual passamos nos últimos dois anos, trouxeram-nos a oportunidade de conhecer-nos e, talvez, de sermos melhores. Tivemos tempo para pensar e agir em prol do fortalecimento das relações interpessoais, especialmente na família.


O autoconhecimento é a peça-chave, pois nossas emoções são complexas e a convivência dentro de casa por um longo período, trouxe desentendimentos, que tiveram que ser trabalhados.


As relações interpessoais interferem nos ambientes nos quais estamos interagindo. Por exemplo, nas empresas essas relações se evidenciam entre os colaboradores. Num ambiente harmonioso os efeitos surgirão através dos resultados apresentados, contribuindo para a competitividade da empresa frente as concorrentes. Promover cursos, palestras, atividades em conjunto, são algumas das formas capazes de promover a integração entre todos.


Os fatores que influenciam nossas relações interpessoais são: a habilidade diálogo (falar/ouvir) e a aproximação (transpor medos/bloqueios).


É possível construir relações saudáveis por meio do diálogo, mas é necessário antes escutar, compreender, sem fazer julgamentos precipitados.


Jesus Cristo quando esteve neste mundo foi nosso grande exemplo, tanto pela forma de pensar como no seu agir, estabelecendo assim, relações interpessoais saudáveis. Em vários momentos, demonstrou com atitudes e seu exemplo, que podemos, sim, transformar as nossas relações interpessoais.


O Evangelho de João (Jo 4) nos relata a história da mulher samaritana, que junto ao Poço de Jacó, pediu água para beber. Na época, havia uma rivalidade muito grande entre judeus e samaritanos, além do mais, as mulheres eram consideradas inferiores aos homens. Jesus quebra esse paradigma, percebeu pelo diálogo, o que se passava no coração daquela mulher samaritana. Ele sabia que ela precisava conversar com alguém, ser ouvida, não ser julgada. Ele pede água à mulher samaritana. Ela tem um choque! Jesus rompeu as barreiras de relacionamento.


A mulher samaritana aprendeu, através do diálogo e encontro com Jesus, que as relações podem ser transformadas. São tantos os exemplos nos Evangelhos, dos quais aprendemos como podemos nos relacionar entre nós.


Em nossos dias, na escola, os professores podem aprender e seguir o exemplo do Mestre Jesus ao olharmos para nossos alunos, nossos colegas, coordenadores, direção, todas as pessoas que estão ao nosso redor. Os alunos podem exercitar a habilidade das relações interpessoais no ambiente escolar e familiar. A Escola poderá tornar um vasto campo de aprendizado, não somente de conteúdos e habilidades, mas, do conhecer-se a si mesmo à medida em que interagem com o outro, ao conhecer o outro, aprender a conviver em harmonia, aprender a resolver conflitos, compreender o diferente, o que será o alicerce para todas as relações interpessoais.



Jociane Pereira

Professora do Colégio e da Faculdade Santana

Formada em Licenciatura em Música

Bacharel em Direito, Pedagogia e Sociologia

Acadêmica no curso de Psicologia.



Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags