Meio Ambiente e XV Capítulo Geral das SSpS


Caminhar juntas por uma Igreja Sinodal: comunhão - participação em nossa missão comum, como Congregação Missionária Internacional. A Congregação conta, hoje, com 2895 religiosas, missionárias, de cinquenta e uma nacionalidades, presentes em quarenta e oito países. As SSpS tem, hoje, o desafio de responder ao chamado da escuta sinodal aos sinais dos tempos, em seus diferentes contextos e expressões, num mundo, cada vez mais, globalizado e interconectado.


Escutar os sinais dos tempos, da Casa Comum – Meio Ambiente são palavras que ecoam o tempo todo em nossos corações e ouvidos, questionam e impulsionam para uma reflexão crítica construtiva individual, comunitária e congregacional.


O Meio Ambiente foi um dos temas do 15º Capitulo Geral das Irmãs Missionárias SSpS, em Aríccia – Roma, de 12 a 31/ janeiro/2022.


O relatório da equipe de Liderança Congregacional (2014-2022) incorporou as reflexões sobre “Efeitos do Desequilíbrio Ecológico”, apresentado pelas oitenta e oito capitulares presentes, como prioridade, a fim de que nosso escutar ecológico nos comprometa em nossa missão comum, baseada na radicalidade dos nossos fundadores e fundadoras. Como Missionárias Servas do Espírito Santo: “...ouvimos o grito desesperado das vítimas de inúmeras calamidades naturais e estamos mais conscientes da nossa responsabilidade comum de cuidar do meio Ambiente. Os incêndios florestais, inundações, secas, terremotos, tornados, furacões, erupções vulcânicas e padrões erráticos de chuva em diferentes partes do mundo tornaram-se hoje notícias diárias”. De acordo com o relatório da Organização Meteorológica Mundial (OMM), os desastres climáticos relacionados ao clima quintuplicaram nos últimos 50 anos. Mais de 870 milhões de pessoas, por ano, são afetadas pela perda de vidas ou meios de subsistência devido às condições do clima irregular[1].


Em torno da mesa exuberante da natureza e em comunhão com a criação, onde tudo está interligado, somos, hoje, convocadas a desenvolver uma espiritualidade de solidariedade global, que brota do mistério da Trindade (LS 240) - link existente, inseparável entre preocupação com a criação, a justiça para os pobres, o compromisso com a sociedade e a paz.


VIVAT Internacional preparou uma lista de pontos comuns e práticos para desafiar a consciência ecológica na vida cotidiana. Olhando nossa mesa de comunhão na perspectiva do meio ambiente, reconhecemos a necessidade de continuar aliar nosso estilo de vida e nossos ministérios, com respeito ao meio ambiente (por exemplo, reduzir/eliminar o uso de plástico...); promover energias alternativas (painéis solares, biogás, cozinhas solares...); e remanejar nossas formas de viajar, comprar e consumir. É preciso consciência de que a questão da integridade da criação exige de nós uma reflexão mais profunda e determinada[2].


O XV Capitulo Geral foi um intenso discernimento coletivo, que passou pela reflexão individual, partilhas no grupo continental e no grupo internacional. Escutar a outra, as outras, atendendo ao princípio de integridade e diálogo com atenção à CHAVE: C-ompetência, H-abilidade, A-titudes, V-alores, É-tica para respondermos à pergunta norteadora: Espírito Santo, que dom queres oferecer ao mundo, através de nós? Este foi o ponto de partida para a construção das Direções Congregacionais, para os próximos anos. Entre as diretrizes, a do Meio Ambiente, exige de nós, uma atitude radical: “Despertadas pelo grito da Trindade, através da dor e sofrimento da Mãe Terra e de nossos irmãos e irmãs à margem, exige, de nós, conversão ecológica e vida sustentável, que se tornam um compromisso ético inalienável“.


Somos impelidas a fazermos uma caminhada profética de transformação, no dinamismo do Espírito Santo. Não podemos perder o tempo, porque a hora é agora! Caminhamos juntos e nos tornemos uma melodia de compaixão para o mundo!


[1] UN News- Global Perspective Human Stories) [2] Informe del Equipo de Liderazgo Congregacional al 15º Capitulo General, 2022



Ir. Aurélia Príhodová,

Missionária Serva do Espírito Santo, coordenadora do serviço de Justiça e Paz na Província - Divina Sabedoria. Assistente Social com Pós – Graduação em Violência domestica: Perspectivas em Práticas Interdisciplinares.

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags