Eucaristia: Compromisso Fraterno e Solidariedade


Na primeira carta de Paulo aos Coríntios, o apóstolo Paulo revela o que recebeu “pessoalmente” do Senhor: “Na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, o partiu e disse: ‘Isso é o meu corpo que é para vocês: façam isso em memória de mim’. Do mesmo modo, após a Ceia, tomou também o cálice, dizendo: ‘Este cálice é a Nova Aliança no meu sangue; todas as vezes que vocês beberem dele, façam isso em memória de mim’. Portanto, todas as vezes que vocês comem deste pão e bebem deste cálice, estão anunciando a morte do Senhor, até que ele venha” (1Cor.11,23-26).


A celebração da Santa Missa ou Eucaristia, Ceia do Senhor, Fração do pão, faz memória daquele ‘evento’ acontecido no dia em que o povo de Israel, a cada ano, reunia-se para fazer memória da libertação da escravidão do Egito, atravessando o mar Vermelho (Páscoa). Jesus, reunido com os Apóstolos, naquela mesma noite, no lugar de sacrificar o cordeiro, tomou o pão e disse: “Isso é o Meu Corpo”.


Participar da Santa Missa significa e pressupõe participar do mistério Pascal, isso é, alimentando-nos do Corpo e Sangue de Cristo, nos tornamos ‘alimento, comida’ para as pessoas. Assim a celebração Eucarística prolonga-se no encontro com o mundo das pessoas famintas de pão, de carinho, de ternura, de dignidade, de justiça, de fraternidade, de comunidade.


Não é o nosso corpo que ‘alimenta’ a irmã, o irmão, mas é o corpo de Cristo que através do nosso pobre e frágil corpo transmite a vida divina de Jesus Cristo.


Assim participar da Eucaristia, significa exercer, junto ao sacerdote ministro, o nosso sacerdócio comum como povo de Deus. Quando o sacerdote pronuncia: ‘tomai e comei, isso é o meu corpo’ e em seguida mostra a Hóstia à comunidade reunida, naquele momento somos convidados a contemplar e repetir, para si mesmo, com Jesus ‘tomai e comei, isso é o me corpo`, unindo-nos ao celebrante que reza em seguida: “concedei que, alimentando-nos com o Corpo e o Sangue do vosso Filho, sejamos repletos do Espírito Santo e nos tornemos em Cristo um só corpo e um só espirito” (Oração Eucarística III).


Podemos, assim, lembrando o Concílio Ecumênico Vaticano II, reafirmar que a Eucaristia é “a fonte donde emana toda a sua força”(SC.536).


Concluindo, podemos fazer memória da celebração da Ultima Ceia de Jesus com os seus apóstolos. Nesta Ceia Jesus doou o seu Corpo e Sangue, antecipando a morte e crucificação para libertar a humanidade da escravidão do pecado e da morte eterna, reafirmando a presença do Reino de Deus. Jesus veio para reunir todos os filhos dispersos numa só grande família de “fratelli tutti” (todos irmãos).


Assim, todos nós, que participamos do mesmo pão e do mesmo cálice, somos chamados a construir o Reino da fraternidade universal: essa é nossa missão e a Eucaristia é alimento necessário e insubstituível para cumpri-la.


Pe Mariano Venzo, SVD – Missionário do Verbo Divino

Vigário Paroquial da Paróquia Nossa Senhora do Rosário

Ponta Grossa - PR

Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags