Espiritualidade da Geração Fundante: Madre Maria Micaela


Irmã Maria Micaela, Adolfina Tonnies, nasceu em 07 de janeiro de 1862 na Vestfália/Alemanha. Conheceu a fundação da Casa Missionária de Steyl através do seu tio, Pe. Germano Wegener, da Congregação do Verbo Divino.


Seus pais eram comerciantes, cristãos fervorosos, com especial cuidado aos mais necessitados. Adolfina gostava muito de brincar. Porém, desde criança, começou a desenvolver um grande amor pela Eucaristia.

Aos 19 anos, após conclusão do Curso do Magistério, foi para Rendsburg na Silésia, para dedicar-se no campo educacional, dando aulas em uma Escola Paroquial, multiseriada. classe única. O ensino era cansativo. Na sala havia um total de 39 alunos, com a idade de 6 a 14 anos. Permaneceu nesta escola, por dez anos, morando em duas peças, que pertenciam ao complexo da Igreja e da Casa Paroquial. Terminava o seu dia com uma hora de adoração diante do Santíssimo Sacramento.


Pelos resultados positivos no ensino das crianças, foi considerada boa professora, pelo seu pároco, e pela confiança nela depositada, tornou-se conselheira dos pais das crianças, seus alunos.


Em 1890, participou de um retiro para professores. Foi o inicio de seu discernimento e começou a dar os passos necessários para esclarecer seu chamado à Vida Religiosa e encontrar um convento que correspondesse aos seus apelos. Sua mãe e seu pároco manifestaram resistência a este seu desejo, mas com o auxílio do tio, Pe. Germano, aceitaram sua vontade. Adolfine ingressou em Steyl, em 1891. Sofreu muito para se adaptar com o novo modo de viver, de maneira pobre e deslocada do seu contexto. Porém, já com 30 anos, estava firme em sua opção; como religiosa recebeu o nome de Irmã Maria Micaela. Em 1896, algumas Irmãs missionárias foram destinadas para a missão no Togo/África e, Irmã Maria Micaela estava entre as primeiras, porém, Pe. Arnaldo (fundador) mudou de ideia, pedindo-lhe que assumisse como o cargo de primeira coordenadora do ramo contemplativo das Irmãs Servas do Espírito Santo da Adoração Perpétua, recém fundada. Tarefa que exerceu até sua morte em 25/02/1934. Costumava dizer: “Na luz do sol eucarístico, sirvamos ao Senhor com alegria”.


As Irmãs Adoradoras, como são chamadas, tem vida de clausura e dedicam sua vida à adoração do Santíssimo Sacramento. Durante as 24 horas do dia/noite, sempre uma irmã está em adoração, diante da Santíssima Eucaristia, com revezamento. Usam o hábito cor de rosa que recorda a sua consagração ao Espírito Santo; simbolizando a alegria pelo serviço prestado à Igreja Missionária, pelo mundo.

Madre Maria Micaela passou para as Irmãs Adoradoras para ajudar no cultivo do bom espírito entre as três Congregações, fundadas por Santo Arnaldo.


Finalizo com o princípio de vida da Madre Maria Micaela: “Viver serenamente na presença de Deus. Trabalhar alegremente por Deus. Avaliar tudo de acordo com Deus. Tratar tudo com Deus. Com simplicidade filial alegrar-se em Deus. Repousar profundamente em Deus”.


Quem quiser conhecer as Irmãs Servas do Espírito Santo da Adoração Perpétua, poderão visitá-las, na cidade de Ponta Grossa, no Paraná.


Referências:

- Apostila: A nossa Geração Fundadora do Centro de Espiritualidade Arnaldo Janssen, Casa São Miguel, Venlo, Steyl – Holanda.

- Livreto: Uma Vida de Fidelidade Oculta, Convento “Nossa Senhora do Cenáculo”, Rua Nunes Machado, 150, Ponta Grossa – Paraná.

- Folder de Propaganda das Servas do Espírito Santo da Adoração Perpétua de Ponta Grossa.



Ir. Matilde Sacardo, Missionária Serva do Espírito Santo/ Especialista em Espiritualidade


Posts Recentes
Arquivo