Deus em nós!


Desde criança, dentro de nossa fé cristã, aprendemos que, a partir de nosso batismo, somos templo/morada do Espírito Santo. “Não sabeis que sois templos de Deus e que o Espírito Santo habita em vocês?” (1Cor 3,16; 1Cor 6,19-20).


Todas as pessoas têm algo que as anima, que lhes dá vida: Deus, que está dentro delas. Quando reconhecemos essa presença amorosa e criativa de Deus no outro, vamos criando uma relação, um elo, um laço, vai acontecendo um “re-ligar”, um “re-conectar”, um fazer ponte com Deus, uma comunhão de vida com ele.


Assim, sabemos que são insondáveis os benefícios da oração na vida da pessoa, pois, quando oramos, atraímos uma “Energia Positiva”, uma “Luz Divina” e exalamos essa energia, essa força vital a nosso redor. Quando rezamos, unimos o céu à terra, irradiamos algo que pode ser muito salutar para todo o ser vivo, para todo o planeta, que está doente, precisando da oração, da “Força Maior”: DEUS!


Para Santo Arnaldo Janssen, nosso Fundador, o mistério da inabitação era muito querido e forte. A “in-habitação” é a morada de Deus dentro de nós. É uma realidade espiritual, uma ação atribuída ao Espírito Santo, e sabemos que a ação de uma das Pessoas da Trindade é a ação das Três: Pai, Filho, Espírito Santo. Santo Arnaldo deixou-nos como legado esta belíssima e sempre atual saudação: “Viva o Espírito Santo em nossos corações e nos corações de todas as pessoas”.


Irmã Elisabeth da Trindade, monja carmelita, grande amante do Deus Trindade e da inabitação, procurava viver essa relação próxima, íntima com Deus. Assim ela se expressou a seu orientador espiritual: “Eu me sinto habitada, como se alguém me habitasse! A Trindade é o meu lar, a Trindade habita em mim”, e esse foi o segredo de santidade de Santa Elisabeth, que se fez escuta, adoração, louvor, amor. Ela queria ser como uma nova humanidade para perceber o que falta à paixão de Jesus.


Sim, somos habitados por Deus que nos criou, amou-nos e nos ama, somos criados à imagem e semelhança de Deus, chamados a sermos santos, a viver uma relação de amor com Aquele que nos habita e de quem todos temos saudades, como rezam o Salmo 62: “Senhor, meu Deus, eu te desejo desde a aurora…”; e o Salmo 41: “A minha alma tem sede de Deus, pelo Deus vivo anseio com ardor…”. Jesus pede: “Permanecei em mim, permanecei no meu amor…” (cf. Jo 15,4-9). Deus está em mim e está no outro, em meu irmão, em minha irmã.


Estamos iniciando um novo ano, uma nova oportunidade, um novo recomeço. Você e eu somos convidados a iniciar e a viver, ao longo dos 365 dias deste novo ano, de modo consciente, esta verdade: Deus me habita, sou morada do Espírito Santo! Assim, ao encontrar com a outra, com o outro, eu me inclino e reconheço a presença de Deus Amor em sua interioridade.


O Espírito Santo é a luz dos corações, é força e nosso mestre interior, indica o melhor caminho, Ele nos ensina a rezar. Ele cria e recria a vida. Ainda sob o impacto da pandemia que assola a humanidade, ceifa vidas, empobrece, traz dor, sofrimento, morte, medo, insegurança, solidão… somos convidados a fortalecer nossa fé, alimentar nossa esperança e revigorar nosso amor, seguir rumo à meta Cristo Jesus, na busca de “Um novo céu e a uma nova terra” (Ap 21,5).


“Eis que faço novas todas as coisas”, inclusive você e eu! (Ap 21,5; Is 65,17). Que essa verdade se concretize na cotidianidade de meu e de seu viver.


Irmã Ilca Maria Hendges, SSpS Missionária Serva do Espírito Santo, Líder da Equipe de Administração da da Província Divina Sabedoria (BRS)

Posts Recentes
Arquivo