120 anos de gratidão


“Minha vida seja amor e gratidão!” (Bem-aventurada Maria Helena Stollenwerk)


Vinte de agosto de 2022, dia de ação de graças a Deus Uno e Trino, e de eterna gratidão às primeiras irmãs, Walburgis, Lourença, Regina, Bonifácia, Crescência e Córdula, que aceitaram o desafio de começar uma nova missão. Em 20 de agosto de 1902, nossas seis pioneiras pisaram o solo brasileiro, chegando a Juiz de Fora, Minas Gerais, onde, mais tarde, fundaram o Colégio Stella Matutina. Em 1907, Deus aí quis colocar o berço da primeira província brasileira das irmãs missionárias servas do Espírito Santo.


Padre Arnaldo Janssen escreveu uma carta às irmãs: “Envio-lhes minha bênção sacerdotal para sua partida e permanência num país estranho. Em todas as dificuldades, confiem firmemente em Deus, abracem e beijem a cruz missionária, e novas forças e graças surgirão”.


Cento e vinte anos se passaram desde que uma estrela pequenina começou a surgir no céu azul de Juiz de Fora. Um novo século e muitas esperanças enchiam o coração do povo juiz-forano. Assim, passou a fulgurar a “Stella Matutina”, misto de escola e lar, acolhendo crianças que, com o passar dos anos, foram se tornando educadoras, mães de família exemplares e membros atuantes na sociedade.


A obra de Steyl não parou por aí. Logo se expandiu por vários Estados e Municípios do Brasil, abrindo escolas, internatos, hospitais e muitas casas missionárias nas periferias. Em 22 de janeiro de 1932, foi inaugurada a nova Sede Provincial “Stella Matutina”, em Santo Amaro, São Paulo, chamando-se Convento Santíssima Trindade.


Muitas vocações foram surgindo, havendo então a necessidade de formar, no Brasil Sul, a Província “Spiritus Divinae Sapientiae”, no dia 18 de março de 1963, com sede no Colégio Sant’Ana, em Ponta Grossa, Paraná, até que fosse construída a Casa Provincial.

Em 29 de setembro de 1972, foi inaugurada a nova Casa Provincial Espírito Santo, no Parque Tarobá, bairro de Uvaranas, também em Ponta Grossa. No mês de setembro, vamos comemorar, com gratidão, 50 anos da nossa presença e atuação missionária nessa casa, no bairro e nos arredores.


No ano de 2002, no jubileu de cem anos, celebramos, com muita solenidade, principalmente na sede das duas províncias (São Paulo e Ponta Grossa), e, juntas, no Santuário Nacional de Aparecida. Todas as comunidades também celebraram com o povo, entoando um hino de júbilo e ação de graças pela missão e caminhada histórica das irmãs missionárias servas do Espírito Santo no Brasil.


Neste percurso, quantas marcas significativas como também dolorosas fomos vivenciando, inclusive afetadas pela pandemia de covid-19. Guiadas pelo sopro do Espírito, continuamos discernindo o novo jeito de caminhar, convivendo com conquistas, alegrias como também com momentos desafiantes e dolorosos.

Gratidão a todas as irmãs, funcionários e missionários leigos que nos ajudam a ir concretizando o sonho de nossos fundadores, Santo Arnaldo Janssen e as Bem-aventuradas Maria Helena e Josefa, plantados em nossos corações desde o início da fundação da Congregação, em 8 de dezembro de 1889. Hoje, nós continuamos reavivando o fogo original do carisma missionário e da espiritualidade trinitária. Seguimos nos perguntando: “Ó, Espírito Santo, que dons queres oferecer ao mundo, através de nós, neste contexto que estamos vivendo?”.


Fazendo memória dos 120 anos de história percorrida neste Brasil afora, “olhamos o passado com gratidão para revitalizar o carisma, vivemos o presente com paixão e fidelidade solidária, abraçamos o futuro que desafia para além do horizonte”.


“Imersas na vida e na dança da Trindade, queremos continuar transformando o mundo pela compaixão” (tema do XV Capítulo-Geral das Servas do Espírito Santo, 2022), com eterna gratidão a tantas irmãs e companheiros leigos que deram a vida na missão do Reino, neste imenso País.



Oração do Centenário das Irmãs Missionárias Servas do Espírito Santo no Brasil (adaptada para a comemoração dos 120 anos)

Santíssima Trindade, nós vos louvamos e agradecemos pelos 120 anos de presença das missionárias servas do Espírito Santo no Brasil.


Seguindo os passos de Santo Arnaldo e das Bem-aventuradas Maria Helena e Josefa, muitas missionárias lançaram sementes que nasceram e deram frutos de vida e esperança a serviço do Reino.


Hoje, passados 120 anos, a missão continua na força do Espírito Santo e sob o olhar amoroso de Maria.


Ao celebrarmos esta data, nós nos consagramos novamente a vós, Espírito Santo, e pedimos que o espírito de sabedoria e amor nos ilumine no compromisso de continuar construindo uma sociedade justa e solidária, fundamentada no amor.


Que assim, na força do mesmo Espírito, possamos tornar Deus Uno e Trino, conhecido, amado e glorificado por todos os povos. Amém!





Irmã Matilde W. Sacardo, SSpS







Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags